Posts tagged ‘Humor’

Visitas Imperiais

No dia 8 de abril de 1847 uma galeota trouxe o jovem imperador Pedro II em sua primeira visita ao norte-fluminense. Veio só, a imperatriz, grávida, não pode deixar a Corte. O imperador de 21 anos, ar europeu, alourado, olhos azuis, uma bela estampa. Desacompanhado, deve ter bulido com a libido da mulherada da cidade. Quantos suspiros não provocou! Acompanhava a galeota um escaler, onde o comendador Faria, soltava foguetes desde Barcelos. Deve ter nascido aí a mania sanjoanense dos foguetes nas festas, até em aniversários de crianças. Festa sem foguetório aqui não é festa.

O imperador foi recebido pelo presidente da Câmara Municipal, major Alves Rangel, (prefeito) do município na época. Reza a tradição que Sua Majestade desceu no chamado Cais do Imperador, assim nomeado graças a uma inspirada iniciativa do professor Fernando Lobato, e foi conduzido com pompa à melhor residência da cidade, o solar do comendador Graça, atual Fórum Municipal, por ruas enfeitadas por guirlandas de flores confeccionadas pelas senhoras e senhorinhas da cidade.

O comendador Graça, assim como o comendador Faria, vivia do tráfico de escravos, então uma atividade comercial como qualquer outra, ainda não reprimida pelos ingleses, que viriam a precisar de assalariados para comprar os produtos de sua revolução industrial. Eram ricos e poderosos, tinham fazenda e gado, inclusive o humano.

(mais…)

11 \11\UTC outubro \11\UTC 2008 at 11:17 Deixe um comentário

AS TIAS

Carlos AA de Sá

Minha geração ainda pode falar das tias solteironas, se lembra dessas figuras onipresentes em qualquer família. Meu avô paterno teve cerca de 11 irmãos e 14 filhos; meu avô materno tinha cerca de nove irmãos e oito filhos. Hoje as famílias têm no máximo três filhos e a figura da solteirona praticamente desapareceu. Temos mulheres que vivem sós, trabalham para se manter e se dão o direito de ter um companheiro ou não. Antes, as tias, solteiras, ao perder os pais se agregavam à família de um dos irmãos e exerciam influência forte, que muitas vezes redundavam em conflitos com cunhadas e sobrinhos, mas também ajudavam na manutenção da rotina caseira, na educação das crianças e na produção de bens caseiros, costurando, bordando, tricotando. Tias de apelidos engraçados como tia Engana, tia Ciça, tia Zizi. Tias adoráveis, tias detestáveis, tias fofoqueiras, tias apaziguadoras.

(mais…)

16 \16\UTC setembro \16\UTC 2008 at 21:04 5 comentários


Últimos Posts