NOTAS DO PARAÍSO LXII

25 \25\UTC fevereiro \25\UTC 2011 at 11:20 Deixe um comentário

* Conta o blog Vento Nordeste, do intimorato jornalista João Noronha, que os quebra-molas — alvo de queixas de quem utiliza a BR 356  e dirige nas ruas da c idade— vão ser substituídos por pardais eletrônicos. O Depto. Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) anunciou a melhoria após remoção dos que geraram protestos dos moradores de Cajueiro. A BR 356 vem recebendo pavimentação asfáltica desde o  ano passado, através de empresa contratada. A rodovia levou mais de 10 anos recebendo operações Tapa Buracos e ficou sem sinalização e acostamento.

* Os quebra-molas de tachões instalados nas ruas da cidade também deveriam ser substituídos ou por pardais eletrônicos ou por sonorizadores. Os atuais quebra-molas não impedem que motoristas abusados desenvolvam alta velocidade. Alguns moradores se anteciparam e já retiraram os instalados em frente a suas residências.

* Em reunião, a ACIC – Associação Comercial e Industrial de Campos, enviou documento à empresa Autopista Fluminense, que cobra o pedágio na BR-101, exigindo a duplicação da pista de Campos até Rio Bonito, local de muitos acidentes de trânsito. Muito justo.

* O subsecretário de Estado de Urbanismo, Vicente Loureiro, avisa que após o Carnaval o governo do Estado terá concluído o projeto do Corredor Logístico, que ligará o ramal ferroviário do Espírito Santo e a BR-101 ao Super Porto do Açu e ao Distrito Industrial. Haverá desapropriações para a construção, que inclui ramal ferroviário, rodovia, três linhas de transmissão de energia, gasoduto e oleoduto, um corredor murado de 40 km com 80 metros de largura.

* Na Câmara de São João da Barra, o subsecretário disse que o projeto final levará em consideração a possibilidade de “contornar” o máximo de propriedades, no que diz respeito às linhas de transmissão. O traçado da ferrovia, por razões técnicas, não poderá ser sinuoso. A ferrovia tem um projeto mais rígido porque não poderão existir muitas curvas e nem elevações no percurso. Alguns pequenos produtores rurais serão reduzidos à condição de sem–terras.

* O representante do Estado adiantou que os critérios para desapropriações serão os das propriedades da área do Distrito Industrial. Caso os desapropriados não fiquem satisfeitos “terão auxílio da Justiça para pedir a reavaliação de suas terras”. “Sabemos que há o pequeno, o médio e o grande produtor, disse, e parte considerável improdutiva. No caso dos que produzem, e a maioria possui até 10 hectares, o modelo de reassentamento prevê assistência técnica e apoio.” Em suma, desalojar pequenos lavradores para atender aos interesses de um grupo empresarial. Lindo isso, né ?

* Boa é a notícia que finalmente nossa cidade vai ser dotada de rede de esgotamento sanitário. É o que se deduz da notícia publicada na coluna Negócios & Cia, da edição da quarta 23 de O Globo. Diz a colunista que pelas novas orientações para concessão de licença ambiental “O Estaleiro da OGX, projeto de aproximadamente R$ 3 bilhões e a térmica do Açu, de R$ 4 bilhões, terão de destinar R$ 60 bilhões a obras de saneamento.” Resta ver se as obras se restringirão à área do porto ou se serão estendidas à sede, tão carente desse melhoramento. Vamos rezar pra São Eike fazer esse milagre.

* Bom que venha esse benefício, porque os efeitos do porto do Açu na cidade, que fica a cerca de uma hora de carro do empreendimento, na minha miopia  reduz-se a uns poucos empregos para seus moradores, a aumento abusivo dos aluguéis e preços dos imóveis, e assaltos à agência dos Correios e lojas comerciais, coisas impensáveis anos atrás.

* O colunista Bruno Astuto, de O Dia, conta na edição da quinta 24, que Eike Batista está feliz porque a OGX, acaba de receber a segunda embarcação de grande porte do tipo VLCC (Very Large Crude Oil Carrier). O primeiro foi entregue no mês passado. As embarcações serão convertidas em futuras unidades flutuantes de produção, armazenamento e descarga de óleo e gás. Seu preço é de cerca de US$ 54 milhões.

* Segundo Astuto, Eric é o nome do novo cachorrinho do empresário, um pastor alemão que tem passaporte alemão e dois adestradores que só falam com ele na língua de Goethe.

* Aqui no paraíso a barulheira nas ruas continua, a despeito da recomendação da 2ª Promotoria de Justiça, a depredação dos logradouros públicos também e o trânsito ostenta motoristas imberbes e crianças no colo dos papais irresponsáveis. E o carnaval vem aí…socorro!

 

 

 

 

 

Anúncios

Entry filed under: Crônicas.

O PARAIBÃO, A MAIOR VÍTIMA DO HOMEM NOTASDO PARAÍSO LII

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Últimos Posts


%d blogueiros gostam disto: