xenofobia

22 \22\UTC junho \22\UTC 2009 at 17:09 1 comentário

De meados do século XVIII aos primeiros anos do século XX São João da Barra foi um importante porto do estado do Rio de Janeiro, uma cidade próspera, a ponto de receber a visita de um chefe de Estado, o imperador Pedro II. Navios de várias nacionalidades, estavam entre os 75 que mensalmente atracavam em seu cais de pedra construído pelo barão de Barcelos. Segundo jornais da época, havia dias em que três a quatro idiomas eram ouvidos no porto. Imigrantes ali faziam escala antes de pegar condução para outras localidades do norte-noroeste fluminense. Era a porta de entrada. Alguns ficavam por aqui.
Quando a atividade naval acabou, grande parte da população demandou outras cidades. Os operários especializados procuraram no Rio, Niterói ou Vitória, um novo local de trabalho. Muitas e muitas casas ficaram fechadas, seus moradores esperavam voltar, mas só vieram de visita, ver parentes e amigos. Com a fuga dos moradores, os comerciantes partiram em busca de novos mercados. A cidade perdeu mais da metade dos habitantes.
Os sanjoanenses que se estabeleceram em outras cidades, ali fincaram suas raízes, criaram família, prosperaram. Novas oportunidades lhes abriram portas do sucesso. Foram bem recebidos, fizeram amigos, sempre acrescentaram algo às comunidades a que passaram a pertencer. Nunca foram rechaçados, hostilizados, discriminados.
No entanto, o que se vê hoje em nossa cidade é um renascimento da velha xenofobia. Os que vêm de fora são vistos com desconfiança e pior, como ameaça. Uma cidade que viveu de seu porto, que foi porta de entrada de “forasteiros”, hoje os hostiliza. Se os “forasteiros” podem disputar os novos empregos é porque têm capacidade, já que os daqui não buscam se capacitar e os que conseguem partem para outras cidades em busca de oportunidades.
Os que vêm de fora têm sempre muito a oferecer, experiência, visão diferenciada do mundo, novos hábitos, nova mentalidade. É saudável. Quem sai do lugar onde nasceu em busca de novos rumos, sabe que tem que vencer e luta para isso.
Brasília e as grandes cidades brasileiras foram construídas por braços nordestinos e de outras regiões. Longe dos seus e precisando vencer, não se importam em pegar qualquer tipo de trabalho, não sentem vergonha, não se prendem a horários nem a compromissos. Assim os escritores de fora se tornaram famosos no Rio e São Paulo, bem como cantores, artistas, operários e empresários. Os que chegam de outros lugares têm sempre algo a acrescentar, ampliam horizontes, diversificam a cultura, fazem crescer. Que seria de Nova Iorque, Buenos Aires, e da maioria das grandes cidades do novo mundo sem o concurso dos forasteiros?
O sanjoanense é bem recebido em outras cidades, e pode ser encontrado nos diversos estados brasileiros, do Acre ao Rio Grande do Sul. Por isso temos de banir de nossa mente a idéia de xenofobia, de achar que só nós temos direito aos frutos da terra, ainda mais que nunca nos preocupemos em nos capacitar para enfrentar quem chega em igualdade de condições. Ao invés de nos acomodarmos, de ficar esperando que abra uma vaga na prefeitura para trabalhar, temos que buscar capacitação.Todos aqueles que daqui saíram para estudar e aprimorar seus conhecimentos se deram bem. Muitos voltam, aposentados, para gozar da suavidade e frescor do vento nordeste, do sol que raro nos abandona, da paz pública, do baixo índice de violência urbana, para matar a saudade do berço natal.
Ficaram algum tempo longe, foram em busca de melhores condições de vida, e muitos se queixam que ao retornar são tratados como “forasteiros”. Vamos parar com isso?

Anúncios

Entry filed under: Crônicas.

choque de ordem A PARTE PELO TODO

1 Comentário Add your own

  • 1. Edevigens Monteiro Cardozo  |  9 \09\UTC julho \09\UTC 2009 às 13:29

    Caro mestre…

    Inteiramente de acordo. Grande abraço. Perdoe a falta.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Últimos Posts


%d blogueiros gostam disto: